PT EN

08 mar 2021

Pré venda Fala Carolinas! Mulheres na luta por vida e dignidade

Clique aqui para ir para a campanha de pré-lançamento!

Hoje, no dia 8 de março de 2021, estamos lançando a pré-venda do primeiro livro Fala Carolinas! Mulheres na luta por vida e dignidade, uma poderosíssima reunião de entrevistas, ensaios e poemas de mulheres negras, indígenas e periféricas narrando sua própria história. Este livro representa o desejo de nos tornamos narradoras e escritoras de nossa própria realidade, autoras e autoridades da história, disputar a história dos de baixo e lutar contra o silenciamento de mulheres que estão na linha de frente, construindo movimentos de moradia, cozinhando para muitos trabalhadores, curandeiras, parteiras, educadoras, lutando contra a violência do cárcere, por direito ao transporte, organizando atividades comunitárias nos bairros periféricos e demonstrando o papel central da mulher na resistência das comunidades indígenas.

Somos um coletivo autônomo de mulheres de diversas periferias que nos unimos através de atividades de debates e ações coletivas, grupos de estudos, oficinas de leitura e escrita, de outros diferentes coletivos e encontros de luta do dia-a-dia. Acreditamos que é essencial para o avanço do movimento feminista, assim como a luta contra todos os tipos de exploração e opressão, que a história também seja narrada desde esses olhares tão potentes, mas ainda hoje tão marginalizados. O projeto começou muito antes do livro, realizamos saraus, oficinas de leitura e escrita na ocupação da Casa Cultural Hip Hop Jaçanã e na EMEF Esmeralda Salles, também na zona norte. 

As ideias que geraram o livro e guiam nossos passos estão em constante reformulação e debate coletivo. As histórias contadas em primeira pessoa são narrativas do que vemos e vivemos em diferentes comunidades. É por este motivo que vamos distribuir gratuitamente o livro nos espaços de onde partimos – ocupações de moradia e cultura, saraus, bibliotecas comunitárias, escolas públicas, feiras livres, entre outros espaços de trabalho  e acolhimento – queremos organizar algumas atividades de lançamento e debates coletivos com as escritoras. Para isso precisamos da sua contribuição, o dinheiro arrecadado com o lançamento do livro permitirá a sua distribuição gratuita e a participação das escritoras durante essas atividades.

Sobre o Livro

A primeira parte, Mulheres em movimento, reúne entrevistas de mulheres ativas em diversas lutas por vida e dignidade. Naná nos conta sua trajetória desde o Piauí em ocupações de terra em Brasília e São Paulo e fala sobre a importância da auto organização das mulheres na Ocupação Esperança, em Osasco, SP. Helena Silvestre narra sua impressionante história de militância, na construção dos movimentos de moradia MTST e Luta Popular, bem como de um movimento feminista periférico latino americano a partir da revista Amazonas e da Escola Abya Yala. Sandra Silva nos conta a história da ocupação Jardim da União, do extremo sul de São Paulo, na constante luta contra o despejo. Tempestade nos conta como sua experiência no cárcere a tornou uma militante abolicionista penal. Preta Jaya nos conta sobre a importância de resgatar, transmitir e pôr em prática os saberes ancestrais na sua jornada como parteira. Luana Marcos fala sobre ser trans e não binária da periferia e sobre suas experiências organizando coletivos de acolhimento e apoio mútuo para LGBTQI* no Grajaú, extremo sul de São Paulo. Finalmente, desde as revoltas do Chile, Cala Calota mostra a importância das mulheres na linha de frente e Yanka Millapan e Macarena Huichaman denunciam o terrorismo de Estado contra os indígenas Mapuches.

A segunda parte, Mulheres e os movimentos, reúne textos desde os movimentos sociais e espaços de cultura. A Rede de Mulheres Mapuches no Chile denuncia a opressão colonial contra o povo Mapuche e demanda sua autonomia e autodeterminação. As mulheres do Movimento Passe Livre São Paulo expõem como a lógica mercadológica do transporte público prejudica principalmente as mulheres periféricas. Sonia Regina Bischain conta sobre a história de luta da Brasilândia, periferia da zona norte de São Paulo, e sobre o Sarau da Brasilândia. Bruna Pucci e Luana Xavier relatam suas experiências como professora e estudante na ocupação da escola Dr. Pedro de Moraes Victor, “Pedrão”, na zona norte de São Paulo, em 2015.

Finalmente, temos os resultados da oficina de escrita dada por Marli de Fátima Aguiar na ocupação da Casa Cultural Hip Hop do Jaçanã na periferia da zona norte de São Paulo em fevereiro de 2020, como parte das atividades de leitura e escrita coletiva do projeto Fala Carolinas!

Por Coletivo Fala Carolinas!
Instagram: @falacarolinas
Facebook: @falacarolinas

7 Comentários

  • Carla Valéria dos Santos Opção disse:

    A LUTA se torna cada vez mais pungente.
    Parabéns por resistirem !!!

  • Monica Ribeiro Nunes disse:

    Um livro importante para um momento importante

  • irene izilda da silva disse:

    Uma obra muito importante para repensarmos nossas ações

  • Deixe o seu comentário!

    Seu e-mail não será divulgado

    keyboard_arrow_up